domingo, 3 de janeiro de 2010





Cada vez mais as pessoas estão adquirindo o hábito de viverem consigo mesmas,
seja por opção ou consequência de fatos da vida.
No fundo, existe um desejo de ser feliz,
de contemplar as necessidades individuais 
sem pagar um grande preço para obtê-las.
Como entender uma pessoa que diz "te amo", 
mas que prefere te magoar pra proteger outra pessoa?
Isso seria amor de verdade ou apenas palavras jogadas ao vento?
Como aceitar ser importante apenas qd a outra pessoa não está por perto?
São perguntas inquestionáveis, sem respostas, 
que deixam a alma triste, e que te faz refletir
se algum dia realmente vc foi amada!

Amor gera atitudes e não apenas palavras....
claro que queremos ouvir "eu te amo
ou estou com saudades"
porem, queremos tb sentir isso....
a companhia, a aproximação, o desejo de estar junto....
Como alguém pode te amar se prefere outras companhias?

Acho que, ainda que eu vivesse 100 anos, 
nao teria respostas pra tantas indagações....
Pq pra mim quem ama fica junto
Qd quem diz te amo prefere te magoar pra proteger outra pessoa....
ENTÃO ESSE ALGUÉM, NA VERDADE
AMA A OUTRA PESSOA!


FELIZ 2010

2 comentários:

Lita disse...

Bolas...
Como te entendo!!
Á coisas que nunca vão ter explicação, há pessoas que nunca vão saber ser amadas, muito menos amar...
Há pessoas que a vida toda dizem ..."amo-te"... com a boca , mas nunca o disseram com o coração...
Um beijo
Lita

Gravepisser disse...

O amor, e todas as suas condicionantes, formam por vezes uma equação demasiado complexa para poder ser entendida pelo comum dos mortais. Pelo menos, é essa a justificação que tento dar a mim mesmo, perante determinadas situações que se atravessam no meu caminho.
Amar não implica passar 24 horas por dia, 365 dias por ano, na companhia de alguém. Mas, também não é amor verdadeiro, quando, consecutiva e insistentemente, se troca a companhia da pessoa amada pela de outros/as.
Daí que, o melhor a fazer quando isso acontece, é pagar na mesma moeda. Não perder tempo com quem não interessa, e tocar a vida em frente, pois se assim não o fizermos, e continuarmos a bater na mesma tecla gasta durante muito tempo, corremos o risco de ficar... Acomodados. Ou será melhor dito, loucos?

Um beijo grande.